Construtora aposta em melhora do mercado e vende 100% em 15 dias

MKT Imobiliário

Contrariando expectativas pessimistas, empresas do setor imobiliário têm conquistado bons resultados

 Apesar das expectativas pessimistas de diversos setores da economia, o setor imobiliário parece estar reagindo à crise. O mercado, que, segundo dados do IBGE, movimenta cerca de R$ 325 bilhões por ano (o equivalente a 6,4% do PIB brasileiro), pode ser um dos pilares mais importantes para a retomada do crescimento e já mostra sinais disso.

De acordo com o indicador Abrainc/Fipe, divulgado na última quinta-feira, o número de lançamentos de imóveis no mês de maio teve um aumento de 218,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os dados mostram que as empresas do setor têm se mostrado mais confiantes na melhora do mercado. A Incorporadora Patriani, com operações na região do ABC e interior de São Paulo, é uma delas. No último mês, a empresa alcançou resultados expressivos com dois lançamentos em cidades diferentes.

Um…

Ver o post original 164 mais palavras

Anúncios

5 mitos sobre o mercado de imóveis corporativos e comercias: Derrubados! — Top imóveis

A forma como as empresas projetam e utilizam espaços de trabalho mudou. Entretanto, como corretores e ocupantes correm para assimilar estes avanços, uma nova leva de mitos são trazidos à tona. Assim como antigos mitos, como dizer que locar um imóvel corporativo é igual a locar um residencial ou que comprar/vender é sempre o ideal, […]

via 5 mitos sobre o mercado de imóveis corporativos e comercias: Derrubados! — Top imóveis

Setor da construção civil começa a dar sinais de reação

Por: Altair Santos

Lentamente, a cadeia produtiva da construção civil começa a dar sinais de recuperação. A expectativa dos principais agentes do setor é de que haja um impulso maior neste segundo semestre de 2016, para que se consolide um viés de alta em 2017. Segundo o mais recente termômetro da ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção), existem expectativas positivas, mas com ressalvas. “Apesar da evolução no humor dos empresários, a realidade das vendas ainda aguarda melhoras. Quem sabe, em julho, haja a consolidação de números positivos”, afirma Walter Cover, presidente da associação.

O termômetro da ABRAMAT mostra que 54% dos empreendedores das indústrias de materiais de construção afirmam pretender realizar investimentos nos próximos 12 meses. A pesquisa também indica que 23% dos empresários estão otimistas com os sinais emitidos pelo governo federal para o setor da construção civil. Isso, ressalta a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), implica no resgate da credibilidade do país e no controle e qualificação dos gastos públicos “São passos que permitirão recuperar a capacidade de investimento”, diz o presidente da CBIC, José Carlos Martins.

O presidente da ABRAMAT lembra que é preciso também pensar em soluções para o comércio de materiais de construção. “O desemprego e o medo do desemprego têm postergado reformas nas moradias, responsável por 50% do consumo de materiais de construção. A indústria do setor requer uma política para estimular esse mercado. Já o segmento das construtoras depende de crédito imobiliário em condições favoráveis e de um programa consistente de obras para infraestrutura”, afirma, já fazendo o alerta: “Mesmo com esses incrementos não voltaremos tão cedo ao ritmo de atividade do passado recente (período 2009-2014)”.

Alternativas viáveis
No entanto, não dá para ficar parado. Voltar a crescer, ainda que minimamente, é fundamental. Por isso, Walter Cover afirma que a ABRAMAT vem realizando reuniões com organismos governamentais, em particular com a Caixa Econômica Federal e com o comitê gestor do FGTS, para reestimular o crédito. Esses encontros têm trazido resultados. Recentemente, a Caixa Econômica ampliou o limite de financiamento de R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões nas operações de crédito do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), válido a partir de 25 de julho de 2016. Essa modalidade financia imóveis sem emprestar dinheiro do FGTS.

A Caixa também está prestes a fomentar o crédito para obras menores. A intenção do governo federal é anunciar, em breve, um pacote de medidas que reaqueçam o varejo da construção civil. Entre elas, o lançamento de um cartão que vai disponibilizar R$ 5.000 de saldo para famílias que recebem até R$ 1.600 por mês. Os recursos poderão ser usados para pequenas reformas, sendo possível sacar para pagar a mão de obra e comprar material diretamente na loja de construção. “São medidas ainda tímidas, mas que começam a movimentar o mercado. O importante é sair da inércia”, avalia Walter Cover.

Entrevistados
Walter Cover, engenheiro agrônomo, Ph.D em economia agrícola e presidente da ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção)
Engenheiro civil José Carlos Rodrigues Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC)

Financiamento imobiliário foi de R$ 22,6 bi no 1º semestre

Aline Bronzati

São Paulo – Os financiamentos imobiliários com recursos da poupança (SBPE) totalizaram R$ 22,6 bilhões no primeiro semestre deste ano, montante 49,5% menor que o registrado um ano antes, de R$ 44,8 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).Casas, imóveis

No período, conforme a entidade, foram financiados 100,5 mil imóveis, quantidade 49,7% inferior a de 12 meses, com 199,9 mil unidades.

De acordo com a Abecip, apesar dos primeiros meses do ano serem sazonalmente mais fracos, há “leves sinais” de que o patamar de financiamentos imobiliários com recursos da poupança começou a se estabilizar e já sugere “inflexão positiva”.

Somente em junho, os financiamentos imobiliários totalizaram R$ 4,3 bilhões, montante 9,5% maior que o registrado em maio, de R$ 3,9 bilhões. Segundo a Abecip, foi o segundo melhor mês de 2016. Em relação ao mesmo período do ano passado, a cifra foi 27,3% menor.

Em termos de unidades financiadas, foram 19,7 mil imóveis em junho, conforme a Associação, crescimento de 5,9% ante maio. Em um ano, foi registrada queda de 23%.

Apartamento de 49 metros quadrados e decoração impecável

Jul 25, 2016 06:32 am | limaonagua

Quem não gostaria de morar em um apartamento como esse? Apesar de pequeno, afinal, são apenas 49 metros quadrados de área, tudo foi muito bem pensado para fazer o espaço render e para que os ambiente sejam agradáveis. A residência, projetada por Ivan Yunakov, foi pensada para um morador apenas. O marrom predominante na decoração, que aparece em alguns detalhes como tijolinho, couro e madeira, dá um ar masculino aos ambientes. Encontramos armários e prateleiras espalhados por todo o apartamento, inclusive embaixo da escada. Finalmente, o quarto foi construído em um mezanino, fazendo o apartamento ganhar mais 14 metros quadrados em relação aos 35 metros quadrados inicialmente disponíveis.01-apartamento-pequeno-decoracao-masculina

02-apartamento-pequeno-decorado

03-cozinha-americana-pequena

04-mezanino-apartamento-pequeno

08-quarto-pequeno-mezanino

Cyrela vê geração de caixa em risco por cancelamentos

Mercado Imobiliário

(Exame) – 01/07/16

A Cyrela Brazil Realty, maior incorporadora do Brasil, pode não gerar fluxo de caixa livre este ano, enquanto luta contra o impacto de cancelamentos de vendas e o pior mercado para o setor imobiliário em décadas, disse à Reuters o diretor financeiro, Eric Alencar.

Até o momento no ano, a Cyrela registrou fluxo de caixa negativo, afirmou Alencar, referindo-se ao dinheiro direcionado aos acionistas e detentores de bônus após a empresa pagar todas as suas despesas operacionais e financeiras. A companhia estima distratos (cancelamentos de vendas) de 25 por cento das vendas totais, o maior nível desde pelo menos 1982.

A companhia, controlada pelo bilionário Elie Horn, teve uma geração de caixa de cerca de 900 milhões de reais no ano passado, com mais da metade vindo no final do ano. “A companhia pode não gerar caixa em 2016”, disse Alencar à Reuters esta semana, explicando que…

Ver o post original 291 mais palavras

Mercado Imobiliário do ABC mostra claros sinais de recuperação

Boas noticias!!!

MKT Imobiliário

Contrariando expectativas pessimistas, a região tem recebido grande número de lançamento.

Santo_André_SP

Ao contrário das perspectivas de poucos lançamentos imobiliários durante este ano, devido à crise econômica em que o país se encontra, o setor tem mostrado sinais de recuperação na região. Pelo menos é o que indica o grande número de novos imóveis sendo lançados nos últimos meses.

Somente na área próxima à divisa entre as cidades de Santo André e São Bernardo, entre o fim de maio e o mês de junho, três empreendimentos de construtoras diferentes foram lançados simultaneamente e tiveram bons desempenhos de vendas.

Um exemplo é o Sky Patriani, lançado pela Incorporadora Patriani em meados de junho. Localizado próximo aos shoppings ABC e Metrópole, o empreendimento teve 75% de suas 116 unidades vendidos em apenas uma semana. Somente em sua pré-venda, realizada nos dias 11 e 12 de junho, metade do total de apartamentos foi comercializada.

Ver o post original 57 mais palavras

%d blogueiros gostam disto: